PERGUNTAS E RESPOSTAS

Reunimos as 10 perguntas mais frequentes e contatamos cientistas, agricultores, economistas e outros especialistas para fornecer respostas.
A seguir estão as principais perguntas dos consumidores e as respostas dos especialistas.

"A resposta curta é não, pois não há absolutamente nenhuma evidência respeitável de que alimentos transgênicos possam causar câncer", disse o Dr. Kevin Folta, presidente interino da University of Florida e professor associado do Departamento de Ciências Agrárias.
Os transgênicos não apresentam nenhum novo alérgeno. Se uma pessoa é alérgica a uma planta não transgênica, como a soja, ela também será alérgica a essa planta transgênica disponível no mercado hoje.
O direito de um agricultor de escolher o melhor tipo de semente para a sua fazenda é um dos nossos cinco princípios fundamentais.
Embora o custo dos alimentos seja afetado por vários fatores (o preço do petróleo afeta os custos de transporte; a seca pode afetar o rendimento e o suprimento disponível, etc.), os transgênicos desempenham um papel importante em manter os preços os mais baixos possíveis.
A coexistência de vários métodos de produção – orgânica, convencional e transgênica – não é um conceito novo.
Uma lista de 1.785 estudos de segurança dos transgênicos, incluindo estudos de longo prazo, está disponível para download no Informa Healthcare.
De acordo com o economista agrícola Graham Brookes, as aplicações de pesticidas diminuíram como um todo, em grande parte devido à adoção de culturas resistentes a insetos, principalmente o algodão.
Segundo Cathy Enright, diretora-executiva do Council for Biotechnology Information, "Nós apoiamos a rotulagem obrigatória de alimentos, incluindo alimentos transgênicos, quando um alimento oferece um problema de segurança ou saúde a fim de alertar as populações sensíveis à presença potencial de um alérgeno", afirmou.
 
É importante ressaltar que, antes de uma cultura geneticamente modificada ser cultivada comercialmente, as empresas desenvolvedoras devem demonstrar que as novas plantas não são prejudiciais a insetos que não são alvos, como abelhas e borboletas.
 
Transgênicos nunca foram detectados no leite, na carne ou em ovos derivados de animais que foram alimentados com alimentos geneticamente modificados.